quinta-feira, fevereiro 11, 2016

São Vicente, O Padroeiro de Lisboa

Vicente, um jovem diácono da Igreja de Saragoça, morreu mártir em Valência no ano de 304 durante a perseguição aos cristãos pelo imperador Deocleciano, depois de sofrer cruéis torturas.
Segundo Prudêncio, um poeta cristão da Antiguidade, os restos mortais de Vicente foram mandados lançar aos pântanos fora dos muros da cidade, para que fossem devorados por animais tendo sido protegidos por corvos, que impediram a profanação do corpo.
Refere uma lenda que em 713 os mouros puseram as relíquias de S. Vicente numa barca, à deriva, tendo dois corvos poisado nela e acompanhado a barca até chegar ao Promontorium Sacrum, na Lusitânia, por isso designado Cabo de S. Vicente, e hoje também Ponta de Sagres.
A tentativa de recuperação dos restos mortais do mártir foi ordenada por D. Afonso Henriques, que mandou levar as relíquias para Lisboa, onde, em sua honra, foi em 1147, no cumprimento de um voto dirigido a São Vicente pelo sucesso da conquista de Lisboa aos mouros, levantada uma igreja, fora dos muros da cidade, por ser dedicada a São Vicente e por ser fora dos muros, denominado Mosteiro de São Vicente de Fora, e proclamando-o Padroeiro de Lisboa.
O corpo do mártir chegou de noite e clandestinamente à cidade no dia 15 de setembro de 1173, proveniente da Ponta de Sagres, tendo sido depositado na Igreja de Santa Justa.
No dia seguinte é trasladado para o altar-mor da Sé e do Algarve chega tudo o que pertencia ao mártir.
Parte das relíquias de São Vicente destruídas quase na totalidade pelo terramoto de 1755, ainda existem hoje na Sé de Lisboa, sede do Patriarcado.
São Vicente é representado com a barca que o transportou e os corvos, estando presentes no brazão da Cidade de Lisboa.
S. Vicente, diácono e mártir, é Padroeiro principal do Patriarcado de Lisboa e da Diocese do Algarve, tendo sido o dia 22 de janeiro instituído como o dia da Solenidade de São Vicente, dia em que durante uma celebração solene na Sé de Lisboa, presidida pelo Cardeal-Patriarca e na presença das mais altas autoridades municipais de Lisboa, são exibidas as relíquias sagradas de São Vicente.

Rolando Santos

Sem comentários:

Hora de verão na missa do Infantado

No verão, a missa do Infantado (EB1) passa a ser às 21h.