segunda-feira, outubro 27, 2008

CONVITE PARA APARECER E CONVIVER NO MAGUSTO

A-dos-CÃOS
16 Novembro – 15h30
Adro da Igreja


BARRO
23 Novembro
Samaritanos


GUERREIROS E SÃO SEBASTIÃO DE GUERREIROS
15 Novembro – 15h
Salão da Igreja de Guerreiros

INFANTADO
16 Novembro – 15h
Jardim junto à Escola
Pode trazer bebidas e uma mão cheia de castanhas para assarmos no jardim

LOURES
16 Novembro – 15h30
Centro Paroquial de Loures


MARZAGÃO
9 Novembro - 16h
Garagem da Rosa

MEALHADA
8 Novembro – 15h
Pátio da Escola da Mealhada


MONINHOS

9 Novembro - 16h
Pavilhão dos almoços

MONTEMOR
23 Novembro – 16h
Pavilhão do campo de futebol


MURTEIRA
9 Novembro
- 15h
Largo da Igreja

PINHEIRO DE LOURES
16 Novembro

Largo do Chafariz

PONTE DE LOUSA
16 Novembro – 14h30
Ida à Serra, talvez visitar a Capela de Santa Luzia


SETE CASAS
16 Novembro – 15h
Bairro da Milharada – Terreno da escola


TOJALINHO
9 Novembro - 15h30
Junto ao Chafariz
Trazer uma mão cheia de castanhas para assarmos

O louco construiu a sua casa sobre a areia

Uma das palavras mais repetidas nas últimas semanas é a palavra “crise”. Para nós portugueses não é uma palavra nova. Mas esta crise é diferente, é uma crise mundial e iniciada no sector financeiro, que chegará com certeza à chamada “economia real”, às nossas vidas concretas e que, de certa forma já chegou, com a subida das taxas de juro.
Iniciada nos EUA no chamado “subprime” (mercado hipotecário de alto risco, ou seja empréstimos feitos a famílias com baixos rendimentos em que os Bancos estavam convencidos de que a casa seria uma garantia suficiente uma vez que as casas se tinham valorizado continuamente nos últimos 20 anos), rapidamente se arrastou ao resto do Mundo. Com a sofisticação dos mercados financeiros e a elevada mobilidade do dinheiro, foram criados produtos financeiros vendidos em todo o Mundo que na base estavam estas casas às quais era atribuído um valor acima do seu valor real. As famílias começaram a deixar de pagar as suas casas e estas estavam sobrevalorizadas, logo esses produtos deixaram de ter valor.
Sem a entrada do dinheiro no sistema proveniente do pagamento das casas e com a desconfiança que se instala entre Bancos não emprestando dinheiro entre si, passa a existir falta de liquidez (o dinheiro em circulação diminui). Daí os Bancos Centrais realizarem injecções de liquidez, ou seja colocam dinheiro no mercado. O reflexo da desconfiança entre Bancos é o aumento das taxas de juro.
Se de repente todos fôssemos ao Banco levantar o nosso dinheiro, o Banco entraria na bancarrota, porque não tem esse dinheiro no cofre. Os Bancos apenas são obrigados a guardar uma pequena parte dos depósitos (menos de 10%), o restante é usado para empréstimos e aplicações nos mercados financeiros. Temos assim um sistema bancário baseado na confiança. Daí que alguns governos para manter a confiança no sistema tenham feito a garantia dos depósitos, ou seja, podemos ficar descansados e não “correr” para o Banco porque os governos asseguram os depósitos (este limite está a ser aumentado de semana para semana de forma a tranquilizar os depositantes).
Talvez tão importante como a crise financeira seja a crise social. Habituámo-nos a consumir, mesmo sem dinheiro. O consumo e o prazer passaram a ser dois elementos indiscutíveis na nossa vida; não os colocamos em causa e indignamo-nos se outros não seguem este modelo. Talvez por esta via esta crise nos traga algo de bom, nos ajude a centrar a nossa vida no essencial. Esta situação não é nova, já o salmista refere «uns confiam nos carros, outros nos cavalos, eu por mim confio no Senhor Deus de Israel».
Penso que esta crise vem pôr a nu um aspecto relevante: quando nos esquecemos de quem somos e qual a nossa missão (sem pôr em causa os legítimos sonhos), facilmente podemos ficar deslumbrados e cegos. Neste processo milhares de analistas, auditores, reguladores, empresas de ‘rating’ (avaliam o risco de empresas e países), gestores, formados nas melhores escolas de negócios de todo o Mundo se deixaram deslumbrar pelo lucro rápido, fácil e se esqueceram de que o sistema financeiro deverá ser o suporte da economia real.
Creio que a melhor forma de ultrapassarmos a crise é cada um nas suas tarefas diárias dar o melhor de si, com empenho e alegria. Que o Senhor nos conceda o dom da confiança e que a nossa fé não deixe que o amor seja esmagado pelo medo da incerteza futura.


Luís Martins

Programa Pastoral 2008/09


O programa pastoral da Paróquia de Loures para 2008-2009 estabelece a seguinte meta: Até ao fim do ano pastoral todo o povo da Paróquia de Loures, com as suas colectividades e instituições, através de várias experiências, é sensibilizado para a importância de estimar o outro.
Este valor marcará tudo o que se realizar na paróquia neste período e é representado pela imagem do abraço, o qual se pretende estreitar entre todos.




Ouvimos dizer da Semana da Missão Vicarial / Semana da Padroeira

Passeio de BTT
“O BTT da padroeira foi um bom exemplo daquilo que Cristo nos ensinou, pois é nas dificuldades, nos momentos mais difíceis que Ele se faz sentir em nós aparecendo-nos sob a forma de ajuda ao próximo!”

David Raquel, Urmeiras

Debate “Ambiente e desenvolvimento: que futuro?”
“É difícil medir o que se aprendeu em três horas, mas podemos ficar com duas grandes ideias: usamos e abusamos da natureza e do ambiente para nosso único proveito, mas é tempo de agir para uma mudança radical, antes que sejamos a causa da nossa própria extinção! E o valor das 10000 coisas que o Papalagui (homem da civilização) tem em sua casa, nunca poderá sobrepor-se à riqueza que nos é dada pelo Grande Espírito.”

Paula Simão, São Sebastião de Guerreiros

Debate “Trabalho e economia”
“Partilho a riqueza que vivi ao participar no debate sobre 'trabalho e economia' realizado na nossa paróquia: pessoas ilustres e tidas como 'de sucesso' são capazes de falar de si aos outros, com humildade e sem medo. À pergunta: "Será compatível o sucesso empresarial com a doutrina social da igreja?", o grande empresário respondeu: "Eu diria que não há outra maneira para a prosperidade." Demos graças a Deus, e a César o que é de César!”

Susana Coito, Migarrinhos

Noite Jovem
“Gostámos de participar nesta oração pelo espírito jovem que se sentiu.”

Vanessa Marques, Loures

Caminhada
“Gostei muito, nunca tinha ido a uma caminhada assim, foi muito simpático, correu tudo muito bem. O piquenique também foi muito bom e para o ano, se Deus quiser, vou outra vez.”

Matilde Delgado, Murteira

Feira Saloia
“Foi um bom ambiente para as pessoas se conhecerem, dou os parabéns a esta iniciativa. Achei muito bom e que deve haver continuação.”

Victor Esteves, Montemor

segunda-feira, outubro 13, 2008

Semana Missionária / Semana da Padroeira - Domingo dia 12

E terminada a semana houve que desmontar e arrumar tudo...

E a semana missionária terminou com a entrega de uma mensagem a cada uma das paróquias da Vigararia VIII, uma oração e um cântico. Como são belos os passos....








video

No domingo a eucaristia foi celebrada na Igreja Matriz de Loures e à saída as pessoas encontraram a feira saloia, onde puderam almoçar, comprar produtos saloios e assistir às actuações do rancho de Montachique e da orquestra da SFUP.

Semana Missionária / Semana da Padroeira - Sábado dia 11










O dia terminou com um concerto nas Sapateiras com a Banda da Providência e com as vozes de África.






À tarde, no parque da cidade, houve o encontro da catequese da Vigararia, onde se fizeram jogos durante a tarde e se terminou com a celebração da missa.









No Sábado fez-se a oração da manhã na escola do Infantado e partiu-se para uma caminhada e para as ruas do Infantado para o encontro de S. Paulo na rua.

terça-feira, outubro 07, 2008

Semana Missionária / Semana da Padroeira - Durante a semana




Na sexta-feira fomos a Moninhos rezar pela manhã e a A-dos-Cãos celebrar a eucaristia. À noite no parque da cidade os jovens organizaram uma oração ao jeito de Taizé.

A oração da manhã de quinta-feira foi feita na igreja da Murteira. À tarde a missa foi celebrada na igreja de Ponte de Lousa e a noite foi de adoração e perdão na Igreja Matriz.
Na quarta-feira a missão iniciou-se com uma oração na Igreja de Montemor e à tarde algumas escolas visitaram a Igreja Matriz de Santa Maria de Loures. Depois da missa na Igreja de Moninhos, à noite tivemos com o Padre João Vergamota a falar sobre São Paulo na biblioteca José Saramago. As despedidas do dia foram feitas com torta de laranja...

Na terça-feira, as laudes foram rezadas em A-dos-Cãos, alguns lares foram visitados e celebrou-se a missa na Murteira. À noite fez-se uma oração a Maria, com a Juventude Monfortina (Póvoa de Santo Adrião) e a Juventude Mariana Vicentina (Olival Basto), na Igreja Matriz de Loures.

A segunda-feira começou com a oração da manhã na Igreja de Ponte de Lousa, à tarde a missa foi celebrada na Igreja de Montemor. À noite debateu-se o tema do trabalho e economia, moderado pelo Cónego Rego e com a participação de Carlos Teixeira da Câmara Municipal de Loures, de Manuela Henriques da Câmara Municipal de Odivelas e do empresário José Luis Simões.

segunda-feira, outubro 06, 2008

Semana Missionária / Semana da Padroeira - Domingo 5 de Outubro


O dia terminou com um concerto musical do grupo Camerata Lusitana na Igreja Matriz de Loures.


A meio da tarde, na Igreja Matriz de Loures, foram apresentados os programas pastorais da Paróquia de Loures e da Diocese de Lisboa, pelo Padre Chico e pelo Sr. D. Tomaz. O Padre Ricardo entregou o folheto e o programa da Vigararia VIII às paróquias que a constituem (Loures, Lousa, Santo Estêvão das Galés, Caneças, Odivelas, Famões, Ramada, Póvoa de Santo Adrião, Frielas, Santo António dos Cavaleiros, Santo Antão do Tojal, São Julião do Tojal, Fanhões, Bucelas e Santiago dos Velhos.

O dia começou com a celebração da Missa no Adro da Igreja Matriz de Loures, seguida de procissão pelas ruas de Loures e almoço partilhado.

Hora de verão na missa do Infantado

No verão, a missa do Infantado (EB1) passa a ser às 21h.