quarta-feira, dezembro 23, 2015

Palavra 91


Cantar das “Janeiras”


Missa de Natal e Dia da Paz


Ano Santo da Misericórdia

No dia 8 de dezembro, o Santo Padre deu início ao Jubileu da Misericórdia, marcado pela abertura da Porta Santa da Basílica de São Pedro.
O rito de abertura expressa simbolicamente o conceito de que, durante o tempo jubilar, se oferece aos fiéis um “caminho extraordinário” para a salvação. Após a abertura da Porta Santa da Basílica de São Pedro, são abertas sucessivamente as portas das outras 3 Basílicas Maiores em Roma: Basílica de São João de Latrão, Basílica de São Paulo e Basílica de Santa Maria Maior.

O Advento: Significado e Origem | “O Verbo fez-se homem e veio habitar connosco” (Jo 1,14)

Todos os grandes eventos exigem uma preparação, por isso, a Igreja instituiu na Liturgia, um período que antecede o Natal: o Advento, que ao longo da história da Igreja adquiriu diversas formas.
Advento, adventus em latim, significa vinda ou chegada, e designava a vinda anual da divindade pagã ao templo para visitar os seus adoradores que acreditavam que o deus cuja estátua era adorada permanecia entre eles durante a solenidade.
Nas obras cristãs dos primeiros tempos da Igreja, adventus transformou-se no termo para designar a chegada do filho de Deus, dando início à Sua vinda gloriosa no fim dos tempos.
Os primeiros traços da existência do período de preparação para o Natal aparecem no século V, quando São Perpétuo, estabeleceu um jejum de três dias, antes do nascimento do Senhor.
São Gregório Magno foi o primeiro Papa a redigir um ofício para o Advento, e o Sacramentário Gregoriano é o mais antigo em prover missas próprias para os domingos desse tempo litúrgico.
No século IX, a duração do Advento fixou-se em quatro semanas, como se lê numa carta do Papa São Nicolau I aos búlgaros. No século XII o jejum foi substituído por uma simples abstinência.
É na liturgia romana que o Advento toma o seu sentido mais amplo. Muito diferente do menino pobre e indefeso da gruta de Belém, aparece-nos Cristo, no primeiro domingo, cheio de glória e esplendor, poder e majestade, rodeado de seus Anjos, para julgar os vivos e os mortos e proclamar o seu Reino eterno, após os acontecimentos que antecederão esse triunfo.
A Igreja convida-nos à penitência e à conversão, e coloca-nos, no segundo domingo, diante da grandiosa figura de São João Batista, cuja mensagem ajuda a ressaltar o caráter penitencial do Advento.
Com a alegria de quem se sente perdoado, o terceiro domingo inicia-se com a proclamação: «Gaudete in Domino semper!», («Alegrai-vos sempre no Senhor!»). É o denominado domingo Gaudete em que os paramentos são cor-de-rosa, dando um tom de alegria e esperança, porque já está próxima a vinda do Salvador.
No quarto domingo, Maria mãe de Jesus, anuncia a chegada do verdadeiro Sol de Justiça, para iluminar todos os homens, reconciliando os pecadores com Deus, amenizando as nossas dores e santificando as nossas alegrias.
É com Maria que fazemos a mais sublime preparação para o Natal.
Rolando Santos

Testemunhos do nosso Magusto

Novamente se celebrou o Magusto pelos diversos lugares da nossa Paróquia.
Seguem alguns testemunhos de pessoas que viveram localmente essa festividade:

Neste primeiro sábado do mês de Novembro, realizou-se o Magusto junto à nossa igreja matriz.
A tarde maravilhosa que se fez sentir, deu cor e vida a todas as pessoas que ali se juntaram num gesto de Confraternização. A energia viva daquele momento foi contagiante e muito positiva. Criou-se um ambiente de Partilha e bem estar.Senti que cada coração ali presente não estava apenas pelo prazer de degustar algumas castanhas mas sobretudo pelo convívio e companheirismo. Através dos risos e conversas animadas surgiu um calor humano indescritível.
Como colaboradora recente desta paróquia, vou constatando o resultado destes pequenos eventos incentivados sempre pelas palavras sábias e generosas do nosso Pe Xico que com o seu jeito tão peculiar nos vai incutindo “Vale a pena insistir e não devemos esmorecer, se cada UM der um passo de coragem, em relação a uma meta que visa o bem comum, DEUS manifesta-se em nós, e a cooperação acontece.”

Maria da Luz - Loures


Mais um ano passou e a Comissão de Festas de Ponte de Lousa juntamente com a Comissão da Capela realizaram novamente o Magusto.
Desta vez a finalidade da angariação de fundos destinou-se para a festa de Nossa Senhora do Cabo que se irá realizar no próximo ano na Paróquia de Santa Maria de Loures.
Este Magusto correu muito bem com a afluência de pessoas que encheram por completo a sala da Sociedade.
A tarde foi passanda com presença da escola de música da freguesia de Lousa e de uma acordeonista, que abrilhantaram um animado baile.
Com a ajuda de Deus e de Nossa Senhora do Cabo Espichel, conseguimos que o convívio das pessoas tivesse o espirito de São Martinho.

Paulo - Ponte de Lousa