terça-feira, novembro 03, 2015

A Palavra ConVida!

Magustos na Paróquia de Santa Maria de Loures
Este ano iremos entregar alimentos não perecíveis a
duas instituições carenciadas.Contamos com a vossa bondade!

A-dos-Cãos | 8 Novembro às 15H00 na Coletividade. Tragam castanhas ou outros frutos secos para partilhar e venham confraternizar.

Fanqueiro | 7 Novembro às 11H00 após a catequese. Confraternização entre todos os catequizandos, pais e outros elementos da comunidade. Venham comer castanhas e partilhar outros alimentos.

Guerreiros | 22 Novembro às 16H00 no Salão da Igreja. Apareçam e venham conviver.

Infantado | 14 Novembro às 12H30 na Escola EB1, almoço com castanhas, água-pé e muita animação. (Menu adulto – 6 castanhas; menu criança – 4 castanhas). Venham confraternizar.

Loures | 7 de Novembro às 17H00 no adro da Igreja Matriz. Venham conviver connosco e tragam um punhado de castanhas para assarmos em conjunto e convivermos em alegria. Contamos convosco.

Mealhada | 7 Novembro às 15H00 na Escola. A catequese irá realizar na escola uma festa para celebrar o Magusto. Acompanhem os vossos catequizandos e tragam algo para o petisco; contamos com a vossa presença.

Marzagão | 7 Novembro às 17H00, confraternização conjunta com Equipa de Loures.

Moninhos | 8 Novembro Venham conviver e almoçar connosco.

Montemor| 14 Novembro às 18H no largo da Capela. Traz um amigo e um punhado de castanhas.

Murteira | 21 Novembro às 15H00. Tragam castanhas, arroz doce, febras, água-pé… e venham conviver em ambiente de alegria.

Pinheiro de Loures | 15 Novembro às 15H00 na SFUP. Venham todos confraternizar connosco.

Ponte de Lousa | 15 Novembro às 13H00 na “Sociedade”.

Urmeiras/Sapateiras | 14 de Novembro às 15H30 no Parque Infantil (Zona Alta de Loures). Estão todos convidados a comparecerem para alegrarem a nossa confraternização. Tragam um punhado de castanhas. Cá os esperamos.

O almoço a realizar em Ponte de Lousa tem também como objetivo a angariação de fundos para a realização das festividades em Honra da Nossa Senhora do Cabo. Vamos todos confraternizar.

Gesto do Mês

Entrega de alimentos não perecíveis ou quantias de numerário a favor de duas instituições.

Casa da Palmeira
CREACIL (Coop. de Reabilitação de Crianças com Deficiência)

Os alimentos recebidos em cada uma das Zonas serão entregues no Centro Paroquial e aí será feita uma seleção para ser posteriormente entregue a estas duas instituições.

O Dia de Todos os Santos

O Dia de Todos os Santos

A Enciclopédia Católica define o Dia de Todos os Santos como uma festa em "honra a todos os santos, conhecidos e desconhecidos".
No fim do século II, professos cristãos começaram a honrar os que haviam sido martirizados por causa da sua fé e, achando que eles já se encontravam junto de Deus, oravam para que intercedessem em seu favor.
A comemoração regular teve inicio quando, em 13 de maio de 609 ou 610, o Papa Bonifácio IV dedicou o Panteão em Roma a Maria e a todos os mártires. A data foi mudada para novembro quando o Papa Gregório III (731-741) dedicou uma capela em Roma a Todos-os-Santos e ordenou que fossem homenageados no 1.° dia de novembro.
Na Igreja Católica, o dia de "Todos-os-Santos" é celebrado no dia 1 de novembro e o de "Finados" no dia 2 de novembro. Esta tradição de recordar os santos está na origem da composição do calendário litúrgico, em que constavam, inicialmente, as datas de aniversário da morte dos cristãos martirizados como testemunho pela sua fé, realizando-se celebrações liturgicas, habitualmente no mesmo local ou nas imediações onde teriam sido mortos, como acontecia em redor do Coliseu de Roma.
Posteriormente tornou-se habitual erigirem-se igrejas e basílicas dedicadas à sua memória nesses mesmos locais.
O desenvolvimento da celebração conjunta de vários mártires, no mesmo dia e lugar, deveu-se ao facto frequente do martírio de grupos inteiros de cristãos e também devido ao intercâmbio e partilha das festividades entre as dioceses e paróquias por onde tinham passado e se tornaram conhecidos.
A partir da perseguição de Diocleciano o número de mártires era tão grande que se tornou impossível designar um dia do ano separado para cada um. O primeiro registo da existência de um dia comum para a celebração de todos, aconteceu no séc. IV em Antioquia, no domingo seguinte ao de Pentecostes, tradição que se mantém nas igrejas orientais.
Inicialmente apenas se deu grande relevo a cristãos considerados heróicos nas suas virtudes, apesar de não terem sido mortos, mas com o avançar do tempo, mais homens e mulheres se sucederam como exemplos de santidade e foram com estas honras reconhecidos e divulgados por todo o mundo.
O sentido do martírio que os cristãos respeitam, alarga-se ao da entrega de toda a vida a Deus e, assim, a designação "todos-os-santos" visa a celebrar conjuntamente todos os cristãos que se encontram na glória de Deus, tenham ou não sido. Segundo o ensinamento da Igreja, a intenção catequética desta celebração que tem lugar em todo o mundo, reforça o chamamento de Cristo a cada pessoa para o seguir e ser santo, à imagem de Deus, a imagem em que foi originalmente criada e para a qual deve continuar a caminhar no amor.
Isto não só faz ver que existem santos vivos e que cada pessoa o pode ser, mas sobretudo faz entender que são inúmeros os potenciais santos que não são conhecidos, mas que da mesma forma que os canonizados igualmente veem Deus face a face, têm plena felicidade e intercedem por nós.
São João Paulo II foi um grande impulsionador da "vocação universal à santidade", tema este sido inicialmente renovado com grande ênfase no Concílio do Vaticano Segundo.
Rolando Santos

Passa a Palavra

Oração Taizé

Um momento de calmaria no corre-corre da semana.
Esta será provavelmente a melhor forma de descrever o momento de Oração ao estilo de Taizé que deu início à Festa da Padroeira.
A serenidade do ambiente iluminado com velas, os ícones, as músicas tranquilas, a presença constante do Senhor exposto no Altar, ajudou-nos a acalmar e preparar o nosso coração para o outro momento alto da Oração: A reconciliação! E foi desta forma assim tranquila que também se fez o lançamento do gesto para esta Festa da Padroeira: os favores em cadeia. O meu papel já está a circular! E o vosso?

Maria José Gil - Loures

Concerto Padroeira: Gospel

A Festa da Padroeira permitiu-nos assistir e participar num magnífico concerto Gospel. Os Soul Gospel Project e os seus convidados, Vânia Fernandes e Luís Sousa, proporcionaram-nos uma noite musical de louvor e adoração a Deus e também à nossa Padroeira Santa Maria de Loures.
Sandra Santos - Loures
A alegria de evangelizar através da música tomou conta da Igreja Matriz no passado dia 9 de outubro. À semelhança de outros anos, fomos brindados com um grande concerto durante as Festas da Padroeira da Paróquia de Sta. Maria de Loures, desta feita com a apresentação de um Coro Gospel e com a participação especial de dois cantores, a Vânia Fernandes e o Luís Sousa, vencedores da Operação Triunfo e do festival RTP da canção, que nos contaminaram com a sua alegria e com as suas vozes harmoniosas. Recordaram-nos que a cantar também podemos rezar reflectir e falar com Deus. Apesar de em cima da hora, a comunidade não faltou à chamada e acorreu à nossa Matriz para assistir a este belo espectáculo. Cristo brindou-nos com a sua presença, com a sua alegria, com a sua mensagem. Parabéns, continuem com este excelente trabalho, para o ano temos um novo desafio, o Sonho Missionário de chegar a todos.

João André Rodrigues - Guerreiros

1º Festival de Sopas

Os “Amigos da Matriz” realizaram mais um evento no passado dia 18 de Outubro. Com as ricas e saborosas sopas que com tanto carinho 13 dos “nossos restaurantes” e algumas generosas paroquianas nos concederam, com a alegria dos “Gaiteiros da Freiria”, com a contribuição e amizade de todos quantos estiveram presentes e com a ajuda de Deus, conseguimos mais umas “tábuas” para o restauro da nossa maravilhosa igreja matriz.

Teresinha Amaral Dias - Loures

Caminhada do grupo Super Mães escuteiras

Foi uma caminhada desafiante a vários níveis! Primeiro porque a expectativa de que a qualquer momento poderia piorar o estado do tempo (mas fomos abençoados pois nem uma pinga caiu do céu) e depois pelas condições exigentes de um terreno muitas vezes enlameado.
Contudo, durante cada quilómetro não faltaram boa disposição e força de vontade, às quais pudemos juntar a admiração pelas belas paisagens do concelho. Mais uma excelente iniciativa do grupo de Super Mães do nosso agrupamento.

Paula Simão - Loures

Palavra 100