segunda-feira, julho 09, 2012

Ouvimos dizer dos santos populares



No arraial, quem não arrisca … não petisca! 
E quem arriscou … petiscou!!! E bem!!! 

Eu que sou estreante nestas atividades, adorei!
O convívio, a organização, a felicidade dos petizes que, muito vaidosos e compenetrados, desfilaram pelas ruas da nosso Infantado, cantando e dançando ao som das marchas populares, tão bem apresentados pelas nossas catequistas, que foram incansáveis…

O tostãozinho para o São Pedro, que as nossas crianças andaram a pedir, com as suas vozinhas encantadoras não deixaram os transeuntes indiferentes, e depressa, depressa, o cestinho foi tilintando de moedas que, satisfeitas se juntavam umas às outras …
O “nosso” Padre Chico… sempre presente, sempre atento, a “guardar” o seu “rebanho”…

Depois veio o arraial, o petisco era mesmo um petisco … e o mais importante, o convívio, esse salutar, como só as “gentes” do Infantado o sabem…
Veio a fogueira e os balões subiram ao céu, que, naquela noite, quis espreitar a nossa festa e se deixou adormecer embalado por tamanha generosidade…

Contem comigo e que depressa depressa, venha a nossa festa, pois já tenho saudades … da próxima que virá!

Luísa Lourenço, Infantado

"Foi tudo muito bonito: a missa, os petiscos, as danças, toda a festa... Podia era vir mais gente das redondezas. "

                                                                                    Aida Morgado, Tojalinho

"Os santos populares animam as cidades, vilas, aldeias e lugares onde vivemos. Santo António é muito admirável e glorificado pelos milagres que operou. Festejamos os santos populares começando com marchas, bailaricos, sardinhas assadas, febras e outros petiscos. Gostei muito daquela tarde que passamos na Mealhada e daquele convívio das pessoas, onde as crianças brincaram e jogaram à bola."

Fernanda Fortunato, Mealhada


Sem comentários:

Nova hora da missa no Infantado