segunda-feira, outubro 28, 2013

CONVITE: Vem ao magusto e partilha um bem com o teu próximo

A-dos-CÃOS - PARTILHA OS BENS COM A CASA Da palmeira
10 NOVEMBRO – 15H30 | sociedade recreativa
Levar bens alimentares para doar.

Alta: urmeiras/sapateiras - Partilha os bens com a casa do infantado
2 novembro – 15h30 | Parque infantil junto à escola de prevenção
Levar bens alimentares para doar. Há castanhas, febras, chouriço assado e água-pé para todos.

Fanqueiro - Partilha os bens com a casa do gaiato
9 novembro – 11h | escola
Levar bens alimentares para doar à Casa do Gaiato e um pequeno lanche/castanhas para partilhar.

GUERREIROS - Partilha os bens com a casa da palmeira
16 novembro – 16h | Salão da Igreja de Guerreiros
Levar lanche para partilhar e bens alimentares (leite, cereais, ...) para doar.

INFANTADO - Partilha os bens com a casa do infantado
9 Novembro – 15h | ringue ou jardim junto à escola primária
Pode trazer uma mão cheia de castanhas para assarmos e bens (leite, cereais, …) para as crianças.

LOURES - Partilha os bens com a casa da palmeira
16 Novembro – 15h
Adro da Igreja Matriz de Loures
Tragam castanhas, nozes e frutos secos para o lanche e bens alimentares para doar.

MEALHADA
9 Novembro – 15h30 | Pátio da Escola da Mealhada
Trazer castanhas, chouriço, pão, água-pé, etc. para partilhar e bens alimentares para doar.

Montemor - partilha os bens com a casa do gaiato
23 Novembro – 18h | Adro da Capela
Trazer uma mão cheia de castanhas para assarmos e bens alimentares para doar.

Murteira- Partilha os bens com a casa do gaiato
17 novembro – 15h | Sociedade Cultural Murteirense
Levar nozes, figos, castanhas, etc para partilhar no lanche e bens alimentares para doar.

PINHEIRO DE loures - partilha os bens com a casa do gaiato
17 NOVEMBRO – 15h | Pátio da SFUP
Traga um punhado de castanhas talhadas para assar e frutos secos ou um petisco para partilhar.

PONTE DE LOUSA - partilha os bens com a casa do gaiato
17 novembro – 13h almoço na SEDE E tarde dançante com conjunto.
Marcação para Paulo Cardoso: 939751601.

Magustos na Paróquia de Loures

A Paróquia de Loures pretende que a realização do Magusto propicie a vivência da partilha entre as pessoas. Porquê?
·  Num meio com algumas carências e no contexto atual verifica-se um aumento de pessoas com necessidades materiais. As pessoas têm reagido muito positivamente aos diferentes apelos à partilha feitos por ocasião do Magusto.
·  São Martinho deixou-nos um exemplo concreto de cumprimento da palavra de São Paulo: “também os nossos devem aprender a empenhar-se em boas obras, para atender às necessidades prementes, de modo que não deixem de produzir frutos” Tt 3, 14.
·  É uma missão da paróquia promover a partilha e sensibilizar a todos para a sua importância.

Toda a gente é convidada a participar no Magusto e a levar um bem alimentar para ser doado a uma instituição.

Programa Paroquial 2013-2014

Meta para o ano pastoral de 2013 - 2014: à luz da Fé que atua pela Caridade, todo o povo da paróquia de Loures é chamado a fazer experiências de pacificação pessoal e comunitária.

  • à luz da Fé que atua pela Caridade significa que estamos em comunhão com o Programa Pastoral da Diocese de Lisboa e que a pacificação é um fruto duma fé operativa

  • todo o povo refere-se a todas as pessoas que vivem ou trabalham na área da paróquia de Loures, sejam as que colaboram ativamente na paróquia, sejam as que frequentam as várias celebrações e atividades, ou ainda, as que não têm qualquer relação com a paróquia.

  • pacificação pessoal e comunitária significa:



Pacificar               Festa da Padroeira
(outubro)
Partilhar              Magusto (novembro)
Saudar                 Janeiras (Dia mundial da paz)
Reconciliar          Dia do doente (fevereiro)
Acolher                Peregrinação a Fátima (março)
Dar a paz             Páscoa (abril)
Aceitar                 Procissão de velas e terço (maio)

Relacionar-se    Santos populares (junho)

Ouvimos dizer da Semana da Padroeira

“Da semana da Padroeira retenho na memória o testemunho de esperança de Aida Nuno revelando-nos como conseguimos acalmar os nossos corações. Que encanto de Mãe que perde um filho com a certeza que o reencontrará.
Depois, o Nuno Maia deu-nos uma palestra da qual recordo a interessante frase: “…se algo está mal, é porque ainda não chegámos ao fim pois tudo acaba bem.”
Por fim, a cereja no topo do bolo, com a conferência com que o Sr. D. Manuel Clemente nos presenteou. Com uma extraordinária capacidade de comunicação focou os três temas propostos de forma singular e bastante esclarecedora, conseguiu-nos transmitir que o caminho que percorremos deverá ser feito em PAZ, não descurando a transmissão das Boas notícias/Evangelho, para que encontremos a ALEGRIA na certeza da Ressurreição. Obrigado Sr. D. Manuel.
Depois tivemos a nossa festa Saloia com um jantar bem animado no sábado e a já tradicional Feira Saloia que também correu muito bem. A Procissão foi um momento alto desta semana em honra da nossa Padroeira.
Temos agora a tarefa que o nosso Pároco nos incumbiu de fazer chegar a folha da Paz aos nossos amigos, vizinhos e mesmo desconhecidos; recolhamos os seus depoimentos e alegremo-nos com a sua amizade.

Teresinha e Vítor Amaral Dias, Urmeiras


“A semana da Padroeira que vivemos trouxe-nos uma igreja mais próxima, mais viva, mais adaptada aos nossos tempos. Sem dúvida que a paróquia de Loures se reinventou e trouxe para mais perto de si a sua comunidade, a sua cultura e a sua voz. Houve, para mim, dois momentos muitíssimo especiais: A noite de fados porque me deu a oportunidade de cantar no local que tem sido fator comum dos momentos mais importantes da minha vida e a conferência de Aida Nuno porque me permitiu olhar para a dor de uma perda de uma forma diferente, de olhar para a morte de uma forma menos pesada, mais bonita. Sinto-me mais próxima de Deus. Agradeço à paróquia e à sua comunidade por termos o privilégio de partilhar estes momentos.”


Fernanda Simões, Moninhos

Hora de verão na missa do Infantado

No verão, a missa do Infantado (EB1) passa a ser às 21h.