sexta-feira, fevereiro 19, 2010

Missa no Infantado

Missa no Infantado
Todos os domingos às 21h
Na Escola EB1 + JI (Escola Primária)

sexta-feira, fevereiro 12, 2010

Peregrinação Interparoquial a Fátima

CONVITE
VAMOS PEREGRINAR A FÁTIMA
7 de MARÇO
No dia 7 de Março de 2010 vamos fazer uma peregrinação, em autocarros, da paróquia de Loures e conjunto com as paróquias de Lousa e Santo Estevão das Galés (em que a equipa sacerdotal também está ao serviço).
A saída está prevista para as 7h45m da Igreja Matriz de Loures e o regresso será ao fim do dia.
Inscrições até 28 de Fevereiro no Centro Paroquial de Loures, das 17h até à hora da missa (18h30m) ou nas zonas:
MONTEMOR
GUERREIROS
MONINHOS
A-DOS-CÃOS
MURTEIRA

Igreja do Infantado

Dado o aumento de população no Infantado, a Paróquia de Loures, respondendo ao que considera ser uma necessidade e aspiração de toda uma população que por motivos de residência, trabalho, recreio ou lazer cimenta laços com o Infantado, solicitou à Autarquia de Loures a cedência de um espaço para a construção de um equipamento colectivo de carácter religioso, incluindo:

• Igreja, para a celebração do culto católico,
• Centro comunitário com creche, jardim-de-infância e centro de dia para idosos.


A Câmara Municipal de Loures autorizou a transmissão, a título gratuito, do direito de superfície sobre a propriedade municipal com 7734 m2, segundo algumas condições. Para a concretização deste projecto foi criado um blog em
http://www.igrejadoinfantado.blogspot.com/, com informação acerca da evolução do projecto e foi aberta uma conta bancária para guardar os fundos que se vão angariando para este fim específico com o NIB 0045 5140 40233145751 14.

Ano Sacerdotal

Estamos a viver o Ano Sacerdotal, convocado pelo Santo Padre por ocasião dos 150 anos da morte de São João Maria Vianney, o Cura d’Ars.

O lema do Ano Sacerdotal é a Fidelidade de Cristo, Fidelidade do Sacerdote.

O fundamento do Ano Sacerdotal está relacionado com a centralidade de Jesus Cristo encarnado, crucificado e ressuscitado na missão da Igreja, que valoriza o sacerdócio ministerial, sem o qual não haveria a Eucaristia, nem muito menos a missão e a própria Igreja.

Devemos evitar dois extremos: o de fixarmos de tal maneira a nossa atenção nos sacerdotes, considerando-os um grupo à parte, isolados do povo sacerdotal. Tudo o que fizermos para descobrir o mistério do sacerdócio apostólico e merecer a santidade dos nossos sacerdotes, devemos fazê-lo em Igreja e com a Igreja. O outro extremo a evitar é o de diluir a especificidade do sacerdócio apostólico na pretensa valorização do sacerdócio comum de todos os fiéis.

Ouvimos dizer da celebração do dia do doente

"Enriquecedora!
É bom tirarmos um tempinho nosso para quem mais precisa.
Gratificante!
Foi bom ver um sorriso na cara destes doentes ao beberem aqui um chá quentinho."
David, Beatriz, Catarina, Susana e Vanessa, Pré-encontro de jovens Shalom na Paróquia de Loures

"Gostei muito de vir a esta celebração. Desde que fui para o lar só tenho tido a missa da televisão… Mas nós precisamos muito de missas assim, é pena não haver mais vezes."
Maria Castro Sousa, Casa do Barro (Residência de idosos)

“Para mim esta celebração foi o máximo!
A nossa partilha com todos os doentes foi maravilhosa assim como tudo o que daqui levamos deste nosso encontro. Foi tudo muito interiorizado.”
Mariana Ferreira, A-dos-Cãos

“Foi muito bom. Foi a primeira vez que aqui vim e se houvesse mais vezes, mais vezes viria. É importante olharmos por estas fragilidades que temos na nossa vida.
Parece que achei, não sei dizer bem, uma satisfação muito grande quando recebi a bênção dos doentes.”
Gracinda Duarte, Murteira

“Para mim foi muito importante e foi muito bonito. Gostei muito de cá vir, senti-me muito reconfortada.”
Maria Odete Plácido, Barro

Não é fácil trazer uma pessoa de cadeira de rodas à missa, mas ouvimos dizer que ia haver esta celebração e resolvemos trazer a minha avó de 88 anos. Preparámos tudo e apesar das dificuldades, conseguimos trazê-la à celebração. Gostámos muito, consideramos que foi uma iniciativa muito boa.”
Marisa Tomé, Mealhada